Ecoando a voz do Senhor!

Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!
(1 Coríntios 9:16)

Não me lembro ao certo quando surgiu a ideia de criar um blog, nem mesmo quando esse nome “eco’S” me veio à cabeça, mas de uma coisa eu sei: desde o primeiro momento que me deparei com esse versículo em uma de minhas devocionais o peso da obrigação de falar da palavra de Deus a todos quantos forem possível se fez bem mais palpável para mim. Esse não só é o versículo “tema” do blog, mas o tema da minha vida; sempre que possível, tento lembra-lo no decorrer do dia. Há, na bíblia, vários versículos acerca da responsabilidade dos cristãos em “ecoar” a mensagem do reino até os confins da terra (os quais eu imagino não ser necessário citar aqui pois são bem conhecidos) mas esse, em especial, me chamou a atenção há alguns meses, senão anos, atrás.

O peso que esse versículo traz para nossas vidas como cristãos professos deveria nos assustar, afinal de contas falar do amor de Deus e Sua palavra é uma obrigação! Não há mérito algum naqueles que pregam e evangelizam, pois nada mais é que suas obrigações. Viver em um país livre, com tantos campos abertos; sejam urbanos, na minha própria igreja, ou nos “confins da terra”, é só mais uma forma para me lembrar do quão obrigada eu sou a falar e “ai de mim se não anunciar o evangelho!” (Eu acho lindo essa parte!)

Enfim, o que nos traz aqui hoje é exatamente isso, todas as reflexões em cima desse versículo me levam cada dia mais a entender a minha obrigação de ecoar a voz do Senhor. Apenas ecoar. Ser reflexo do Seu amor e propagar a Sua eterna verdade onde quer que eu esteja, com as ferramentas que me forem dadas, porque a mim cabe apenas anunciar.

Esta obrigação recai sobre todos nós cristãos, mas ser feliz cumprindo isto me traz aqui. Não sei se são todos que tem a oportunidade de sentir satisfação em falar, ou se muitos ainda encaram apenas como obrigação. Mas a mim, muito me alegra ser apenas um eco que repete a voz de Deus; e como diria aquela música “e que o meu nome morra com meu corpo e que o de Cristo permaneça em tudo” pois em mim não há gloria nenhuma em fazer isso, porém AI DE MIM, se não o fizer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.