A bênção da comunhão

 

Uma prática cada vez mais frequente nos nossos dias é a de não ser efetivamente membro de qualquer instituição eclesiástica. A minha intenção é de voltar os olhos para algumas questões bíblicas que são negligenciadas quando tal hábito é fomentado.

A bíblia é clara em afirmar, em textos como o de Hebreus 10:25, – Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima” –  a necessidade da congregação. Mas a Palavra não explicita tal necessidade sem nenhuma justificativa. São dois principais motivos para que a comunhão seja algo tão imprescindível na vida de um cristão: manter-se debaixo do cuidado espiritual de Deus e ser instrumento de bênçãos.

O Senhor demonstra seu cuidado nas nossas vidas, por meio dos nossos irmãos, quando passamos por ocasiões em que temos a fé abalada ou situações de provação. Nessas horas, a graça de Deus é derramada em nós através de conselhos baseados na Palavra, da oração intercessora, ou em simples momentos em que um irmão se dispõe a ouvir aquilo que te aflige. Alguns textos em que é evidente o cuidado que só a comunhão efetiva providencia são:

          “De maneira que, se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um deles é honrado, com ele todos se regozijam.”  1 Coríntios 12:26   

          Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará? Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; o cordão de três dobras não se rebenta com facilidade.”  Eclesiastes 4:10-12

          “Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.”  Tiago 5:16

O outro lado de ser corpo de Cristo é servir aos irmãos e consequentemente ao Pai celestial. É nosso dever, enquanto filhos de Deus, estar dispostos a servir nossos irmãos com os dons que nos foram concedidos. A Palavra de Deus diz, em 1 Coríntios 12:7“A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso.” – Dessa maneira, é palpável a responsabilidade que temos em servir e exercer proveitosamente os dons com os quais o Pai nos agraciou. Sejam esses dons quais forem, nem sempre eles são relacionados às artes ou ao pastorado, como se crê. Outras referências do nosso dever como crentes em Cristo Jesus em ser servos e instrumentos de bênção nas vidas dos nossos irmãos podem ser vistos em:

Porque assim como num só corpo temos muitos membros, mas nem todos os membros têm a mesma função, assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros, tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada: se profecia, seja segundo a proporção da fé; se ministério, dediquemo-nos ao ministério; ou o que ensina esmere-se no fazê-lo; ou o que exorta faça-o com dedicação; o que contribui, com liberalidade; o que preside, com diligência; quem exerce misericórdia, com alegria.”  Romanos 12:4-8

          ”E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo.”  Efésios 4:11-12

            Nesse sentido, observa-se quão clara e objetiva é a Palavra de Deus a esse respeito. Portanto, seja em uma conversa sobre o assunto ou se você mesmo está numa situação parecida com a citada no início do texto, busque refletir sobre isso, por meio da oração e da leitura da bíblia, para que o Espírito Santo aja e esclareça a vontade dele na sua vida, e assim, todos os que têm Cristo como o centro de suas vidas possam ser usados por Deus como servos fiéis, abençoando aos irmãos à sua volta.

          “Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos! É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes. É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião. Ali, ordena o SENHOR a sua bênção e a vida para sempre.”  Salmos 133