Nisto Conhecemos o Amor

Um dia desses eu estava em um estudo com os jovens da minha igreja e líamos o livro de 1 João… Posso dizer que foi um estudo que falou muito comigo. Falamos especialmente sobre Amor. Mas não qualquer amor, e sim o Amor de Deus. Então, resolvi fazer uma devocional e li algumas coisas bem interessantes que gostaria de compartilhar com vocês.

O amor não é uma definição de Deus – Deus é infinitamente mais – mas Deus é a definição de amor (Tópico: Atributos de Deus – A Bíblia da Mulher)

 

Isso é bastante interessante, não é mesmo? Deus é A definição do amor, não UMA definição qualquer, Ele é a única. Você pode perguntar o que é o amor para milhares de pessoas, consequentemente você terá milhares de respostas diferentes. Cada um tem uma opinião sobre o que seria o amor. Muitos acham que é um sentimento, muitos acham que não. Muitos acham que é uma força, muitos acham que não… Bom, eu particularmente não gosto de pensar no amor como um sentimento.

Algo que falei para alguns dos meus amigos da igreja e que eu muito acredito: o amor é uma junção de sentimento e ato. Você não pode simplesmente dizer para alguém que você a ama e agir de uma maneira que não demonstra esse amor, ou agir de modo totalmente contrário ao que você diz. Você tem que revelar esse amor através de suas atitudes.

E veja só, o Senhor mostrou o amor dEle por nós:

“Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.” (Romanos 5:8)

 

E também:
“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16)

Eu poderia mostrar muitos outros versículos que revelam o amor do Pai por nós, mas acho que seria melhor vocês lerem por si mesmos, né?

Deus é amor. Deus É amor. E Ele sempre será. E eu sou imensamente grata por isso. Já pensou o que seria de nós, meros humanos, sem o amor de Deus por nós? Seríamos entregues a nossa natureza caída. E miserável é o homem que é entregue aos seus próprios caminhos.

O livro de 1 João mostra que:
1- A fonte do amor é Deus ( 4:7-10; 4:16)
2- Porém, não qualquer amor, e sim amor de fato e de verdade ( 3:18)
3- O modelo desse amor é Cristo ( 3:16)
4- Nós devemos manifestar esse amor amando aos outros ( 4:21)
5- Nós devemos possuir um amor sacrificial ( 3:16)
6- O resultado desse amor é a presença constante de Deus e o aperfeiçoamento do amor em nós ( 4:12; 4:16)
7- Fora de Deus só há trevas e ódio ( 2:11) e falta de compaixão ( 3:17)

No Novo Testamento, Cristo resume os 10 mandamentos em 2: Amor a Deus e amor ao próximo. Os dois grandes mandamentos são amar. E Ele nos deixa essa ordem com o manual de instruções que se encontra em 1 Coríntios 13 (eu simplesmente amo esse capítulo da Bíblia).

Lá, ele diz que o amor:
– É essencial;
– É paciente;
– É benigno (bondoso);
– Não arde em ciúmes;
– Não se vangloria;
– Não se orgulha;
– Não maltrata;
– Não procura seus próprios interesses;
– Não se ira facilmente;
– Não guarda rancor;
– É justo;
– É verdadeiro;
– Tudo sofre;
– Tudo crê;
– Tudo espera;
– Tudo suporta;
– Não acaba.

O amor não acaba, pois Deus não acaba.

Vemos que falta amor no mundo, há tanta guerra, tanta gente passando fome, tantas mortes, tanta dor, tanto ódio. Mas isso não devia ser um motivo para deixarmos de amar ao próximo, muito pelo contrário, deveria ser a causa de amarmos intensamente. Devemos levar ao resto do mundo o verdadeiro amor, que é Deus.

Temos o mandamento e temos as instruções… O que mais falta para praticarmos o amor?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.