Série: Os Solas da Reforma

“Sola Scriptura” (do latim, somente a palavra) é um dos cinco princípios da reforma protestante do século XVI, qual afirmar que somente a escritura é a suprema autoridade doutrinaria para todas as decisões de fé e vida que percutem o cristianismo.

Toda escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, afim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra”                                                                                                 (2Tm 3:16-17)

Nada mais tem autoridade igual ou superior à da Bíblia; entretanto, naquela época para a igreja romana, sua tradição tinha o mesmo peso de importância e “credibilidade” que as escrituras. Somente a escritura é a palavra de Deus, ponto. Foi considerado ser esse a “causa formal” da reforma, e defendida a todo custo, como bem pode ser notado no discurso final de Lutero na dieta de Worms.A menos que possa ser refutado e convencido pelo testemunho da Escritura e por claros argumentos (visto que não creio no papa, nem nos concílios; é evidente que todos eles frequentemente erram e se contradizem); estou conquistado pela Santa Escritura citada por mim, minha consciência está cativa à Palavra de Deus”. Essa é a importância e centralidade da autoridade do poder das escrituras como A palavra de Deus (na sua totalidade, não contendo), que veio se perdendo dentro da igreja da época devido ao forte tradicionalismo que muitas das vezes se afastava gravemente da palavra de Deus.

Gosto de uma música que diz “não fale que O encontra nas suas ondas de fé, e não na palavra”, a vontade de Deus é revelada a nós através de Sua palavra, temos livre acesso ao Pai através de Cristo e conhecemos Cristo através das escrituras, qualquer coisa que vá além do que as escrituras afirmam ou não pode ser defendido por ela, deve ser desconsiderado. Se naquela época os reformadores se levantaram para lutar contra o tradicionalismos e dogmas da igreja romana que não eram biblicamente condizentes, atualmente temos que ter cuidado com as “visões”, “revelações” e outros “atributos” do show da fé gospel que se tem hoje em dia, daqueles que se julgam ser homens de Deus mas pregam além do que A Palavra diz.

“Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.
Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.”
                                          (Gl 1: 8-9)
 Como bons cristãos reformados devemos seguir o exemplo dos crentes de Beréia que a tudo quanto ouviam examinavam as escrituras para ver se as coisas eram de fato assim (At 17:11) devemos sempre nos lembrar desses cinco princípios que serão abordados durante essa semana, para sempre seguirmos o puro, simples e genuíno evangelho não importa o quão bonito, emocionante ou espetacular sejam suas “ondas de fé”.

 

Leitura complementar:

http://www.ministeriofiel.com.br/artigos/detalhes/601/Sola_Scriptura

http://www.mackenzie.br/6919.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.