Serviço e Amor

“Servi-vos uns aos outros pelo amor” (Gálatas 5:13). Essa frase bíblica pode dar muito no que pensar, especialmente se considerarmos que a palavra grega usada no texto original e aqui traduzida para “servir” é douleuo, cujo significado literal é “ser escravo de”. Portanto, servir um ao outro em amor, significa que devemos ser escravos uns dos outros por amor, isto é, submeter-nos, obedecer e fazer a vontade de outra pessoa por amor.

 

Sem dúvida, é uma ordem nada fácil de cumprir! De um modo geral, ninguém gosta de ser visto como servo, muito menos escravo! Talvez não se importem com a idéia de servirem algumas pessoas até certo ponto, como a um patrão, por exemplo, mas é um pouco mais difícil imaginar ter um “mestre e senhor”, especialmente se esse alguém for um colega. O que você acha da idéia de ser escravo de alguém? Mesmo se, em contrapartida, esse alguém estiver disposto a ser seu servo, é provavelmente difícil imaginar-se privado de exercer sua vontade própria.

Servir Deus é uma idéia mais facilmente aceita, por Ele ser tão elevado, poderoso e superior em todos os aspectos. É um pouco mais fácil dizer “Senhor, eu O sirvo” para um ser onividente, onisciente e onipotente, do que para alguém que consideramos estar no nosso nível, ou talvez, em alguns aspectos, em um inferior.

Outros bons versículos sobre nos servirmos uns aos outros são: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo” (Filipenses 2:3), “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros” (Romanos 12:10), “Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus” (Efésios 5:21), e “Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo” (Gálatas 6:2).

É mais fácil se for algo voluntário que tenha partido de nós, como, por exemplo, servir uma refeição para alguém, mas nesse servir “uns aos outros pelo amor” implica em fazermos o que a outra pessoa pede, o que exige de nós um pouquinho mais de graça, humildade e submissão.

E se aderirmos ao princípio de que devemos “servir uns aos outros pelo amor”, claro que não vamos pedir aos outros para fazerem nada que vá prejudicar ou causar dano. Tudo deverá ser feito em amor, quer estejamos servindo ou recebendo o serviço de outra pessoa, e todos sairemos ganhando. Às vezes, o que pedimos aos outros pode significar um sacrifício para eles, mas do mesmo modo vamos servi-los e, às vezes, nos sacrificar por eles. Uma mão lava a outra. (…)

 

Trecho escrito por Maria Fontaine, retirado do site: http://www.thefamilyinternational.org/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.