A loucura da Cruz

Umas das coisas que mais impactam o ser humano ao longo de sua vida caminhada cristã é cruz. Ao mesmo tempo em que ela traz horror e vergonha, também pode expressar uma profunda abnegação, sacrifício e amor. Nela, uma maldição foi imputada e um amor foi provado.

Cristo sabia qual era seu papel aqui nesse mundo. Ele sabia o que deveria ser feito. Era necessário satisfazer a justiça de seu Pai. Tal justiça incluía que ele passasse por vergonha, rejeição, dores físicas e emocionais, levasse a maldição e ira destinada a nós e por fim, que ele morresse.

Por favor, não quero que você sinta tristeza ou pena de Jesus. Fique triste por você. Ele é Deus, o Autor da Criação, o Verbo, o Príncipe da Paz, o Reis dos Reis….e você, o que é? O que eu sou? Eu sei a resposta. Não somos nada, todas as nossas obras são nada, e não há nada que possamos fazer para merecermos viver uma vida com Deus.

Volta lá no primeiro parágrafo. Eu começo falando da cruz. Foi preciso que Cristo passasse por ela. O escândalo que ela causou para a plateia que assistia aquela cena trágica foi enorme e chocante. Houve um momento em que Jesus, já no fim de suas forças, olhou pra toda aquela gente, suspirou, e disse que tudo estava consumado (João 19:30). Mas o que havia sido consumado? A justiça de Deus tinha sido satisfeita, a ira do Pai havia sido despejada sobre Jesus, nossos pecados o moeram, Ele morreu a nossa morte.

Por meio de Cristo, e de sua pesada cruz, podemos viver uma nova vida, livre de qualquer condenação, maldição, medo e escravidão. Cristo nos reconciliou com o Pai Somos livres!!! Seja grato por isso, quebrante seu coração, não permita que o pecado lhe domine, não se deixe influenciar pelo mundo. A sua vida custou muito caro, custou o sangue do puro Cordeiro, custou a vida do Filho de Deus.

Alguém pode achar que tudo isso que eu disse é besteira ou loucura, mas querido leitor, é muita coisa em jogo, trata-se de vida ou morte. E saiba de algo, qualquer liberdade distante da cruz  mata e escraviza.

 

“Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as coisas ter a primazia, porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude e que, havendo feito a paz pelo seu sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus” Colossenses 1:18-20

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.