Noite em Claro

Era mais uma noite em claro

Na noite silenciosa, onde o vento sussurravam sua música

O som das árvores calmas e tranquilas ao movimento da dança

A lua iluminando toda escuridão das densas trevas

Estrelas dando seu brilho

Uma bela noite!

Uma noite em claro

Sobre a mesa, um papel em branco

Sobre a cabeça, uma perturbação enjaulada

Em mãos, um lápis apontado

No coração, uma aflição em movimento

À esquerda, um armário velho

À direita, uma escrivaninha e seus livros empoeirados

Pro céu, para baixo, por todos os lados, meus olhos fixavam, mas nada se via

Nenhuma inspiração, vida ou esperança

Indiferentes eram os meus pensamentos

Pecado, morte, vida, destruição ou salvação

Nada ocupava minha mente

Sem sentir raiva ou remorso, alegria ou afeto

Nada!

Uma noite em claro

Quantas noites em claro nos passamos?

Quantos noites passar olhando pra si?

Quantas noites, procurando algo que ao redor?

Noites em claro.

Será que é tão difícil?

A procura de respostas não encontrei nada

Não sinto nada!

Noites em claro

Por quantas noites teremos que passar à luzes, antes de olharmos para o que importa?

Deus estende sua mão

Mas com ela, o recolhimento, a dor, pecado, vergonha e depravação

Não quero ver o que sou, é repugnante!

Mas com tudo isso, ele concede perdão, graça, alegria e amor imensurável

Mesmo sabendo quem eu sou, na situação deplorável que estou

Quantas noites em claro

Mas esta noite foi a clareza que se revelou!

Uma noite em claro que enfim valeu a pena…

Os ventos sussurram

Sua música.

As árvores dançam calmamente

A lua e estrelas fazem seu papel

E o que mudou ?

O Deus se revelou!

Um homem para a liberdade foi liberto!

Da indiferença para a esperança!

Da vergonha para a Glória!

De caído para salvo!

De morte para vida!

Tudo mudou…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.