A Doce Graça

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras pra que ninguém se glorie.” Efésios 2:8-9.

Há algum tempo, esses versículos ganharam um novo significado em minha vida. Já os conhecia de cór, porém não havia meditado sobre o significado destas palavras e o impacto que uma real compreensão deste trecho bíblico pode causar em nossa fé.

Estávamos reunidos na casa de uma senhora com o intuito de evangelizar. Ao ser questionada sobre sua fé, ela rapidamente respondeu que frequentava uma igreja, participava esporadicamente dos cultos, que tentava ser uma boa pessoa e fazer o bem aos outros. Então, uma pessoa de nosso grupo recitou esses versículos. Foi aí que consegui perceber o alívio que essa verdade traz.

Somos salvos pela graça. Somente pela graça.

“Minha relação com Deus está baseada em Seu favor que eu não mereço. Somente pela Sua graça. Não tenho nenhum mérito! ”, pensei.  Isso trouxe paz ao meu coração. Um alívio para meus pensamentos de culpa.

Muitas vezes tentei, por meio do meu esforço, ser mais “aceitável” à Deus. Tentei pela força do meu braço e pelas minhas obras me justificar diante dEle.

Não estou dizendo que boas obras, fazer o bem, amar o próximo e etc, não são válidos ou desprezíveis.

Devemos crescer em conhecimento, em verdade e em poder do Espírito Santo.

“Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante? De modo nenhum!” Romanos 6: 1-2a.

Uma vida santa é necessária? Sim!

É preciso ter uma moral firme e uma conduta exemplar? Claro!

Porém, temos que entender que nosso acesso até Ele só é possível única e exclusivamente por meio da obra redentora de Cristo. Não está ligado ao que fazemos, e sim ao que Jesus fez por nós, morrendo na cruz. Nosso relacionamento com Deus está baseado em Sua própria obra.

“Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus.” Romanos 5: 1-2.

Sabendo disso, e estando firmes na graça, devemos compreender nossa necessidade de buscá-Lo, aprender dEle  e obedecê-Lo, não para nossa própria glória, mas por amor e gratidão Àquele que se entregou por nós, mesmo quando nós ainda éramos pecadores.

Que possamos descansar em Sua graça, sabedores de que o amor de Deus não depende de nossos atos, e sim de Seu favor imerecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.