O Justo

Olá pessoal, quanto tempo hein! Já estava saudosa de poder conversar com vocês, de compartilhar ideias e pensamentos; mas cá estou eu outra vez para falar sobre uns raciocínios que tenho feito. Eu tenho estudado pra uma prova aí, e eu comecei a comparar o que eu estou estudando com a Palavra de Deus… e gente, como Deus é bom e justo!

Bom, o assunto é relacionado com o Direito e a Graça de Deus. Estranho né? Confesso que fiquei com um pouco de medo de escrever sobre isso, mas é somente uma observação minha, amigos. Então, se alguém da área do direito ou algum advogado ler e não concordar, sem problemas viu! Ah, deixem as opiniões de vocês nos comentários se puderem. Seria muito legal ter um retorno de vocês.

Gente, talvez muitos não saibam, mas o Direito Brasileiro, especialmente o Penal é regido por uns princípios que podem parecer meio injustos. Como assim? Bom, vou citar dois, porque são a base do Direito Penal, o Favor Rei ou Favor Libertatis, que remete a ideia de que a liberdade deve prevalecer sobre a punição, e também tem o In Dubio Pro Reo, ou seja, na dúvida, fiquemos a favor do réu. A partir desses dois princípios basilares, a ideia que surge é que o direito penal é motivado para ajudar o acusado. Em minha opinião, muitas vezes o que eu sinto é injustiça. Há inúmeras hipóteses e casos em que o denunciado vai ser ajudado… Chega a espantar o tanto de benefícios que eles têm. Mas é claro que há casos em que o réu merece os benefícios, pois há muitas condenações injustas por aí.

A questão é que eu não quero discutir aqui o quanto o Brasil ou o ser humano são injustos, mas como DEUS É JUSTO!

Agora vamos dar uma “retroagida” e pensemos na época do Antigo Testamento, em que o povo era submetido à Lei de Deus. O Senhor estabeleceu os mandamentos para que o povo O conhecesse e cumprisse sua vontade, e quanto ao pecado, deveria se sacrificar um animal puro, e assim, o pecado seria perdoado (para mais detalhes, leia o Antigo Testamento, rs). Quando Jesus veio a este mundo, então, ensinou sua Palavra e sua morte sacrificial derribou a Lei, e passamos a viver sob a Graça! (Rm 5:1-2)

“E tomou o livro da aliança e o leu ao povo; e eles disseram: Tudo o que falou o Senhor faremos e obedeceremos” (Ex 24:7).

Apesar de termos leis morais que regem nossas vidas, nossas obras são más. Apesar de termos tribunais e ministros que conhecem profundamente a lei, a sociedade está se afogando em um mar de injustiças. Mas apesar de sermos seres humanos decadentes, impuros moral e espiritualmente, Deus nos amou, a ponto de deixar seu único Filho morrer por nós, para nos dar vida eterna (Jo 3:16).

Eu não sei se vocês me entenderam… na verdade eu não tenho uma lição de moral pra dar, ou um conclusão legal. Eu queria apenas que vocês pensassem um pouco na vida, em vocês e em Deus, em quem Ele realmente é!

Vocês podem sofrer a pior das injustiças aqui nessa terra, mas Deus é o justo juiz (Is 32:22), e Ele nos diz que o ímpio não ficará impune. Você pode achar que não tem perdão para seus atos, mas Jesus disse que veio para os pecadores e doentes, como eu e você (Mc 2:17).

“Mais um pouco de tempo, e já não existirá o ímpio; procurarás o seu lugar e não o acharás… Rir-se-á dele o Senhor, pois vê estar-se aproximando o seu dia. O Senhor conhece os dias dos íntegros… Os ímpios, no entanto, perecerão, e os inimigos do Senhor serão aniquilados e se desfarão em fumaça” (Sl 37:10, 13, 18, 20).

Minha mente tem se desenrolado nesses pensamentos, e eu só tenho vontade de agradecer a Deus, porque eu não dependo de leis e juízes para ter a minha justiça satisfeita, eu não dependo de mim mesma pra fazer algo pra ter a salvação, pois Cristo já me concedeu, graciosamente e sem eu ter feito absolutamente nada pra merecer. Que isso encha seu coração de consolo e alegria. Busque o Senhor, conheça-O, e se satisfaça completamente nele e na sua justiça. Contente-se em provar da sua Graça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.