A aliança

Desde sempre, minha comemoração anual favorita é o Natal. Tudo muda no Natal, certo? O ar fica mais leve, as pessoas mais amigáveis, ficamos ansiosos pelo dia tão esperado quando nossa família se reúne para celebrar o nascimento de Jesus.

E o que acontece com a Páscoa? Onde ela se encaixa? Ela entra como mais um feriado? Um feriado com bastante chocolate?

Quando nós entendemos nossa condição de total depravados, a Páscoa passa a ter um novo significado pra gente. Quando reconhecemos Cristo como único e suficiente Salvador, a Páscoa deve passar a significar algo a mais pra gente. Não me entendam errado, não estou aqui pra dizer que o Natal é superestimado nem nada; devemos, sim, celebrar a vinda do Messias à terra. Mas, por que não celebramos Sua ressurreição com igual alegria e entusiasmo? Afinal, se Cristo não tivesse ressuscitado, sua morte teria sido em vão, e estaríamos ainda condenados ao inferno. Me atrevo a pensar que ainda não entendemos totalmente o dom da Salvação, não entendemos esse grande Amor que nos tirou das amarras do Inimigo.

Não compreendam a morte de Jesus como um plano B para a criação. Ela foi planejada desde antes da fundação do mundo. Em toda a história da Bíblia, tudo aponta para Cristo. Ele é o tema central.

A primeira menção do Salvador foi na queda do homem:

“Então, o Senhor Deus disse à serpente: Visto que isso fizeste, maldita és entre todos os animais domésticos e o és entre todos os animais selváticos; rastejarás sobre o teu ventre e comerás pó todos os dias da tua vida. Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”
‭‭Gênesis‬ ‭3:14-15‬ ‭ARA‬‬

Jesus é o descendente tão almejado que tem poder de nos redimir de nossos pecados. Aqui foi feita uma aliança entre o Pai e o Filho, onde entramos apenas como herdeiros dessa promessa. Não temos parte na Obra da nossa salvação, pois nunca conseguiríamos obedecer a Ele nos mínimos detalhes (assim como não O obedecemos no Éden).

Avançando séculos na história, em ‭‭Isaías‬ ‭53, Deus reafirma sua Aliança pela boca do profeta, a Aliança que independe de nós. A Aliança da qual somos meros recebedores da Graça e Misericórdia.

“Mas ele foi traspassado pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.”
Isaías 53:5 ARA

O Pai usou seu servo para falar de uma promessa maravilhosa de redenção, e alguns anos depois, vemos a Promessa se cumprindo completamente na Pessoa de Cristo.

Em João 19 podemos perceber nitidamente o fato em Sua morte:

“Depois, vendo Jesus que tudo já estava consumado, para se cumprir a Escritura, disse: Tenho sede! Estava ali um vaso cheio de vinagre. Embeberam de vinagre uma esponja e, fixando-a num caniço de hissopo, lha chegaram à boca. Quando, pois, Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado! E, inclinando a cabeça, rendeu o espírito.”
‭‭João‬ ‭19:28-30‬ ‭ARA‬‬

E em Sua ressurreição:

“Tendo dito isto, voltou-se para trás e viu Jesus em pé, mas não reconheceu que era Jesus. Perguntou-lhe Jesus: Mulher, por que choras? A quem procuras? Ela, supondo ser ele o jardineiro, respondeu: Senhor, se tu o tiraste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei. Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, lhe disse, em hebraico: Raboni (que quer dizer Mestre)! Recomendou-lhe Jesus: Não me detenhas; porque ainda não subi para meu Pai, mas vai ter com os meus irmãos e dize-lhes: Subo para meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e vosso Deus.”
‭‭João‬ ‭20:14-17‬ ‭ARA‬‬

Depois de tudo isso, como deixar a Páscoa passar batido como mais um feriado? Devemos dar o devido valor à morte e ressurreição de Cristo. Devemos ser gratos ao nosso Senhor por nos amar ao ponto de se entregar pra morrer uma morte de cruz por nós. Devemos ter o coração transbordante de alegria e humildade em saber que Ele é o motivo da nossa salvação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.